Sobre ebooks e caipiras

Todo mundo se revolta ao descobrir que o autor de um livro impresso ganha apenas 10% do preço de capa — mas nem assim compra um ebook do desgraçado! ¿E por que isso seria bom para o autor? Ora, porque, na Amazon, por exemplo, eu ganho de 30 a 70% …

Márcia e o desconhecido do MSN

  Márcia iniciou o MSN e a janela com o convite se abriu: um certo Alessandro queria adicioná-la. Era bonito na foto e, no texto do convite — “Oi, te achei interessante. Posso te adicionar?”—, havia o endereço do perfil dele no Facebook. Decidiu, pois, dar uma checada antes. Viu …

Um papo estranho

  "Meus velhos amigos estão no Facebook, mas nunca conversam comigo." "Os meus tampouco, na verdade, nem respondem minhas mensagens diretas." "Os meus respondem no máximo com um ‘sim’, um ‘não’ ou um ‘talvez’." "Por que será?" "Ah, deve ser por causa de política ou de religião. Com o tempo …

Música eletrônica

Para algumas pessoas, a música eletrônica é apenas uma veleidade de adolescentes a porejar hormônios, coisa de gente sem gosto musical. O que me faz lembrar as passeatas contra a “guitarra elétrica” dos anos 70….

Matrix Revolutions ou Matrix Disappointments?

Não imaginei que ficaria tão decepcionado com a trilogia Matrix. E não é porque os últimos dois filmes “não têm conteúdo”, “são apenas filmes de ação” ou críticas do gênero. O primeiro Matrix foi uma espécie de clave de sol que a orquestra, nas duas sequências, interpretou como clave de fá. Se tivessem se afinado com o primeiro filme, eu até poderia não concordar com a cosmogonia dos caras, mas bateria palmas.

O eterno retorno ao Centro

Minhas peregrinações pelo centro de São Paulo começaram em 1985, quando eu ainda ia completar 14 anos de idade. Eu e o Dante estávamos sempre inventando uma missão – comprar uma peça de reposição de autorama (Mabushi, Estrela, etc.), o disco de uma banda punk (Cólera, Inocentes, Garotos Podres, etc.), um relógio com joguinho, um tênis…