Primeiro celular

O primeiro telefone celular a gente nunca esquece. O primeiro que usei na vida não era meu. Foi em 1995 e o celular pertencia ao cineasta Nélson Pereira dos Santos...
Continua»

Não pagou, dançou!

Ir a uma oficina mecânica da periferia de São Paulo é uma experiência das mais pitorescas. Bem, ao estilo de Francis Bacon...
Continua»

Doom!! Doom!! Doom!!

Este conto foi escrito em Brasília, 1996, para me exorcizar de certa influência literária que estava me fonsecando a alma...
Continua»

O IPTUzão de Hilda Hilst

Como você se sentiria se ganhasse pouco menos de dois mil reais por mês e ainda estivesse devendo quinhentos mil de IPTU?
Continua»

Maria Eu-gênia

Uma professora de psicologia que é um verdadeiro caso de psicopatia...
Continua»

Vinho com Lygia Fagundes Telles

Após cerca de dois anos de conversas por telefone, eis o relato da minha primeira tarde em companhia da escritora.
Continua»

As Musas da Nova Geração

Dentre todos, eis o conto mais antigo que ousei incluir neste site.
Continua»

Quanto engano, né, Camões?

Diante desses bostas, levando da vida safanões, e com as mãos da mente amarradas às costas, só nos resta indagar: quem enfim algo acerta, ó meu caro Camões?
Continua»

A Vingança de Piupiu

Conto extraído d'A Tragicomédia Acadêmica, no qual um calouro de medicina assassinado durante um trote é vingado de forma extraordinária (qualquer semelhança com o que ocorreu três anos depois, na USP, foi mera previsão).
Continua»

Piptadenia peregrina

Conto extraído d' A Tragicomédia Acadêmica onde assassinatos, atentados à bomba e outros conflitos ocorrem entre os professores de diferentes departamentos e faculdades de um campus universitário.
Continua»

Quando eu era Chinês…

Acho que todo mundo conhece alguém que já fez a tal “regressão a uma vida passada“. A coisa toda é tão batida que o escritor Mário Prata chegou a publicar o livro Minhas vidas passadas a limpo, no qual, salvo engano, ele conta ter sido até mesmo a mucama da Cleópatra. Claro, tudo piada,...
Continua»

O Diplomatastral de Moon

Resulta muito difícil — enquanto pesquisador do fantástico — deixar de lado minha mania de ler livros malucos para me meter de cara em livros mais construtivos. (Muito embora eu também esteja lendo Don Quijote e Mário Ferreira dos Santos…) Recentemente, por exemplo, encontrei novas viagens maionésicas: os livros do Reverendo Moon & Cia....
Continua»

Papai Noel, Garotos Podres, Tolkien

Obviamente, uma crônica de Natal...
Continua»

Minha amiga extraterrestre

Tem gente que tem amigo famoso, ator de Hollywood ou super-modelo, tem gente que tem amigo presidente de alguma república ou rei ou príncipe e assim por diante. Já eu tenho uma amiga extraterrestre...
Continua»

Mazzaropi e cinema nacional

Assisti, dia desses, a uma série de reportagens sobre o Mazzaropi: fiquei fã. Não, não de seus filmes, dos quais, aliás, nunca vi um inteiro, mas de seu espírito empreendedor.
Continua»

Entreatos ou A Gravata do Bravata

Minhas impressões sobre o excelente documentário Entreatos, de João Salles, sobre os bastidores da campanha política de Lula, em 2002, para a presidência da república.
Continua»

Mona

Hoje foi um daqueles dias em que acordei botando fogo pelas ventas, com ódio amargo contra toda a humanidade, o que evidentemente inclui a mim mesmo, já que também eu faço parte dessa malta fedida. Na cama, quando me deparei comigo, só de raiva, quase me mordi. Cara chato que não larga do meu...
Continua»

O urubu e o amor

Sexta-feira passada assisti, en passant, ao Globo Repórter sobre animais de estimação.(...) O incrível mesmo foi a história da Loira, uma "urubua" feia, asquerosa, mas... mas... tão lindinha! Até chorei.
Continua»

Cartontinha de Amor

Uma carta escrita para uma então namorada e, agora, eterna amiga.
Continua»

Libertários, estatistas, Friends, Jivago e Islã

Considero o Estado um tipo de gesso sobre o esqueleto fraturado da sociedade. Por quê? Ora, o que torna as relações viáveis numa sociedade é a confiança mútua entre os humanos. Presentemente ainda há ruptura, não há nexo pleno entre os indivíduos, somos quase todos, em graus diversos, estranhos um ao outro - muitas...
Continua»

O dia em que a Terra parou

Toda invenção humana não almeja outro fim senão a vitória sobre as limitações impostas pelo tempo e pelo espaço. E sei que não preciso citar muitos exemplos para provar tal afirmação. Uma simples meditação sobre os artefatos tecnológicos que nos cercam já constitui uma fonte de indícios demasiado ampla. Até mesmo uma lâmpada não...
Continua»

Translate this page

Conteúdo

Social


    Curta minha página


    Siga-me no Facebook




    Cadastre seu endereço de email e receba automaticamente os posts publicados:


PayPal

Faça uma doação!

Bitcoins

Gostou? Faça uma doação.
Doe bitcoins!

O Autor

Yuri Vieira é escritor e cineasta. Saiba mais.

Visitas